[ENTREVISTA] RAFAELA MELO, FOTÓGRAFA EM NAVIO DE CRUZEIRO

Preciso confessar a vocês estou adorando a ideia que tive das entrevistas, cada uma melhor que a outra. Hoje contamos com a colaboração da minha amada amiga Rafaela Melo. Conheci esta fantástica pessoa por volta de 2008/2009, não me recordo ao certo, só sei que me apaixonei pela Rafa e rapidamente nos tornamos grandes amigas. Sempre admirei a fotógrafa  dedicada e profissional que a Rafa era a bordo e continua sendo. Hoje em dia, ela possui sua própria  empresa de fotografia, a RAFA MELO FOTOGRAFIA, onde fotografa casamentos e ensaios em geral. Atua no ramo desde que saiu do navio, em dezembro de 2011. Ela reside e trabalha em Recife e está indo para Florianópolis para ingressar nessa mesma área por lá. Confiram os trabalhos da Rafa no site: Rafa Melo Fotografia.

Rafaela Melo fotografa em Cruzeiro

 

 

 

 

 

 

1 – Por que você resolveu candidatar-se a vaga de fotógrafa?

R: Sempre fui apaixonada por fotografia, na época eu era estudante de Ed. Física na UFPE(Recife) e surgiu a oportunidade de trabalhar no navio.

2 – Como foi o processo para você conseguir a vaga de fotógrafa?

R: Primeiro me cadastrei no site da empresa de fotografia e simultaneamente realizei o curso do STCW. Na época realizei uma entrevista com o responsável do departamento de RH da empresa OPS Ocean Photo Service. Essa empresa presta serviços para as empresas de cruzeiros.  Após ser aprovada na entrevista, realizei os exames médicos e então recebi minha carta de embarque. No caso tive que pagar pela minha passagem aérea pois esta empresa terceirizada não fornece a passagem aérea.

3 – Quais características necessárias para conseguir uma vaga no departamento de fotografia?

R: Ter alguma experiência em fotografia, falar inglês e ser bastante dinâmico.

4- Qual empresa você trabalhou e em qual navio?                                      

R: Trabalhei na OPS (Ocean Photo Service), que na época era terceirizada nos navios da extinta companhia espanhola Ibero Cruceros. Trabalhei no Grand Mistral, Grand Holiday e Grand Celebration.

Rafa em excursão Piramides do Egito

5 – Normalmente os departamentos de fotografia em navios são administrados por empresas terceirizadas. No seu ponto de vista, existe muita diferença entre trabalhar para uma concessionária ou diretamente para e empresa de navio?

R: Sim, quando a empresa é direta do navio, o salário compensa mais.

6 – Qual foi a sua impressão ao ingressar em um navio pela primeira vez? 

R: Espanto, um choque cultural, pessoas de todo o mundo trabalhando para o mesmo objetivo, mas uma delícia!

7 – Descreva as tarefas realizadas no cargo de fotógrafo(a)?                                    

R: Fotografar os passageiros nos restaurantes e eventos em geral do navio, acompanhar nas excursões em terra fotografando os passageiros, realizar fotos de estúdio e à noite atender na loja de fotografia.

8 – O que você mais gostava de fazer no cargo de fotografa?                                    

R: Gostava muito de fotografar estúdio, e claro, conhecer e aprender com as pessoas a cada cruzeiro.

9 – Como era a questão dos uniformes?

R: Durante o dia, usava uma camisa pólo (fornecida pela empresa) com uma calça preta. A noite calça preta, blazer preto e camisa branca de botão e manga curta que tive que comprar, pois o uniforme da noite a companhia não fornecia. Aconselho levar umas duas calças pretas, três camisas brancas e um blazer. O sapato deve ser preto e confortável, de preferência  tipo sapatilha preta e tênis para o dia.

10 – Como era sua cabine?                                                            

R: Quando trabalhamos para uma concessionária que presta serviços para a empresa de cruzeiros, a concessionária paga pelas cabines, o que significa que exige cabines melhores para a tripulação. Tive sorte, pois sempre fiquei sozinha e ainda tinha um Crew Steward (cabinista) que limpava minha cabine todos os dias.

Rafaela na loja de fotografia do navio

11 – Como era a remuneração no cargo de fotógrafo(a)? Você conseguiu juntar algum dinheiro?  

R: A média salarial entre a temporada no Brasil e na Europa ficava em mil dólares. Nas duas primeiras temporadas, não juntei muito dinheiro porque como fui com o navio para a Europa. Lá comprei muito equipamento de fotografia para meu estúdio de fotografia em terra. Mas depois juntei, sim.

12 – Quais as vantagens de se trabalhar como fotógrafo(a) a bordo?                                                            

R: Experiência de vida, aprendizado, poder explorar os lugares onde o navio atraca, aprimorar os idiomas, além de montar um portfólio gigante!!!

13 – Qual dica você daria aos candidatos que almejam uma vaga como fotógrafo(a) em um navio?

R:  Antes de qualquer coisa, paciência, muita paciência e vontade de aprender. Não é fácil, mas se souber lidar, você aproveitará bastante esse trabalho.

14 – Existe alguma desvantagem? Caso sim cite um exemplo?                                                                   

R: A única desvantagem é poder às vezes ter algum chefe que não trata os funcionários igualmente. No meu caso tive vários chefes, uns foram muito difíceis de lidar, porém outros me fizeram ter mais vontade de trabalhar.

15 – O que você trouxe na bagagem após uma experiência como essa?                                                     

R: Ahhh, além de inúmeros amigos, trabalhar no navio me fez compreender as pessoas, respeitá-las cada vez mais, aprimorar o espanhol, o inglês. Também comprei vários equipamentos, se não tivesse trabalhado no navio, não teria nem metade. E o mais lindo de tudo foi conhecer uma pessoa extremamente especial, que tornou-se meu marido.

Conheça o estúdio da Rafa através do site ou contate pelo email rafamelophoto@gmail.com.

 

Rafaela com seus amigos do navio no porto de Rodes Grécia

Rafaela e seu esposo Eduardo em Atenas Grécia

Comments

comments

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

[an error occurred while processing this directive]
- sales7 - cheaps5