Cruzeiros – Como ela fez

Quer trabalhar em cruzeiros? Conecte-se com nossa especialista dos mares, Greice Olsson.

 

greece

 

Minha paixão por viagem começou na infância quando embarquei no trailer dos meus pais e viajei o Brasil inteiro, me acostumei desde muito pequena à vida de cigana. A curiosidade faz parte da minha personalidade, sempre queria saber tudo sobre os lugares e os países que visitava. Anos depois, através da janela da minha cabine, via essa imensidão azul do oceano, no meio do golfo de leões entre a África e a Europa, e retornava àquela mesma sensação de minha infância, querer descobrir o que tem atrás do horizonte.

Gaúcha de nascimento e criada no Rio de Janeiro, acabei adquirindo o estilo de vida aventureiro do carioca misturado com o ímpeto desbravador do gaúcho. Retornando a Porto Alegre, acabei procurando trabalhos relacionados ao turismo. Trabalhei em Resorts, hotéis, fui agente de viagens e guia de turismo no Brasil. Acabei conhecendo muito do nosso maravilhoso Brasil e ainda queria mais, então resolvi  que o mundo seria o jardim da minha casa por alguns anos. Trabalhando a bordo de um navio de cruzeiros reuni todas as condições necessárias para realizar meu sonho de conhecer o mundo.

Arrumei as malas e parti. Muitas pessoas no mundo realizaram o mesmo sonho. É claro que muitos já relataram suas paixões por viajar em livros, blogs, sites e até em filmes. As vitórias e transformações que uma opção de vida como essa pode trazer são os motivos pelos quais muitas pessoas viajam pelo mundo. Aproveitei a oportunidade de estar sempre navegando por muitos países e reuni um vasto material fotográfico, videográfico para criar um site de dicas de viagem, alem todas as experiências que vivia eu escrevia como um diário, reunindo também material para meu livro.

Hoje iniciei um canal no youtube de dicas de viagem, além de estar construindo meu site e escrevendo meu livro. Navegue no site e descubra as maravilhosas possibilidades que um trabalho a bordo de um navio de cruzeiros pode trazer. Confira também as dicas no nosso canal do youtube e curta nossa página no Facebook. Boa Viagem!

 PERGUNTAS FREQUENTES

– Por que você decidiu trabalhar a bordo de um navio de cruzeiros?

Meu espírito aventureiro e meio cigano com certeza foram a mola propulsora que me fizeram tomar coragem e desbravar o mundo. Eu já conhecia muito bem o Brasil e tinha uma louca vontade de conhecer a Europa. Quando trabalhei em um resort Francês acabei conhecendo pessoas que já tinham trabalhado a bordo de um navio de cruzeiros e contavam relatos incríveis de como conseguiram conhecer muitos países. Meu objetivo era conhecer, porém não queria ter que esperar até ter grana suficiente para dar a volta ao mundo, então resolvi  me candidatar a uma vaga em um navio de cruzeiros. Estava com 24 anos e sabia que era ‘agora ou nunca’. Tomei a decisão de optar por uma vida cigana ao invés de concluir a universidade, na época estava cursando Educação Física. Realizei todo o processo, foquei minhas energias e me determinei a conseguir uma vaga. Resultado: passei e viajei durante 10 anos por 4 continentes.

– O que você fez lá? Deu pra guardar dinheiro?

Como qualquer multinacional no mundo se você trabalhar muito, se dedicar e mostrar a sua capacidade poderá conquistar uma carreira e adquirir, além de experiência, um amplo conhecimento. Comecei como Relações Públicas da companhia, isso porque falava inglês, espanhol e italiano fluente e Frances intermediário. Óbvio que a bordo é possível reunir uma quantia considerável, porém ninguém fica rico. Além do mais, na primeira temporada que estamos visitando muitos lugares e países pela primeira vez é normal gastarmos um pouquinho mais da conta. Normalmente após a segunda temporada, nos acostumamos e aprendemos a economizar e fazer a poupança. A cada  temporada de 6 meses, se você estiver determinado a juntar uma grana pode reunir em torno de R$ 15.000,00.

– O que o trabalho a bordo de um navio te proporcionou?

Uma das coisas mais incríveis de trabalhar em um navio de cruzeiros é a oportunidade de conviver com pessoas do mundo inteiro.  Na maioria das vezes são cerca de 40 nacionalidades a bordo e devido a isso se torna muito comum o intercâmbio cultural. Quando você se da conta esta almoçando, passeando e  trabalhando com Indianos, Filipinos, Russos, Húngaros, Colombianos, Mexicanos, Ingleses ou seja gente do mundo inteiro. Esta situação é uma oportunidade incrível de crescimento pessoal. Aprendemos costumes e idiomas, aprendemos a julgar muito menos outras culturas e costumes, a dividir experiências  e entender que nossa ideologia não e  a única correta, ocorre uma transformação extremamente positiva. Outro ponto é a capacidade de resolver problemas e encontrar soluções para situações mais adversas no âmbito profissional. A logística de uma multinacional de cruzeiros é enorme, ampla e 100% eficaz; essa dinâmica possibilita um crescimento profissional muito vasto.

– Quais as maiores dificuldades que você enfrentou?

Os primeiros meses de adaptação são, sem dúvida, os mais difíceis. Quando começamos a entender o ritmo de trabalho e como é a rotina da vida a bordo em um cruzeiro, as dificuldades aparecem. Sentimos uma imensa saudade da família, da comida, dos amigos, da nossa cama confortável e muitos outros hábitos e situações de nosso dia-a-dia. Outro ponto importante é a convivência com pessoas totalmente diferentes. Se não entendermos que devemos aprender com essas diferenças e principalmente compreendê-las, isso se torna uma dificuldade. É claro, um navio possui regras como na marinha (afinal, estamos em alto mar) e as regras disciplinares são mandatórias em qualquer embarcação. Caso você não possua o perfil para adaptar-se a regas, deve pensar muito antes de buscar um trabalho a bordo de um navio.

– Relate uma situação divertida

Uma das coisas mais legais de trabalhar é que a tripulação acaba tendo momentos de muita diversão. Todo o navio possui o Crew Welfare (a associação da tripulação) e umas das funções da associação é realizar eventos para os tripulantes. Uma vez por mês são realizadas festas temáticas para a tripulação. Já participei de festas brasileiras, indianas, hondurenhas, colombianas, filipinas, halloween, batismo do equador (quando cruzamos com o barco a linha do equador), Carnaval e muitas outras. Muitas situações divertidas acontecem nas festas da tripulação, é um momento de confraternização no qual todos estão felizes por desfrutar de um momento de lazer após horas de trabalho.

– Qual o lugar mais incrível que você visitou?

Meu lugar preferido no mundo é difícil de escolher, já que na verdade foram mais de 30 paises e 300 cidades ao redor do mundo. Estive por muitos anos navegando pelo  Mediterrâneo, acabei me familiarizando muito com a Grécia e um dos lugares que eu amo é Santorini, definitivamente é uma ilha maravilhosa. Apaixonei-me pela Croácia, as cidades de Dubrovnik e Split são de tirar o fôlego. Ainda no continente Europeu, a Ilha da Madeira em Portugal é magnífica. É claro, sem falar nas maravilhas naturais do Brasil, eu amo Ilha Grande, Búzios, Maceió, Ilha Bela e, claro, o Rio de Janeiro.

– O que você trouxe na sua bagagem?

Uma experiência de vida como essa acaba transformando a vida da gente. Subi a bordo de um barco com uma ideia que eu iria ter um trabalho, que consequentemente eu iria conhecer alguns lugares mas jamais imaginei que eu iria ter a possibilidade de conviver com tanta gente. Acabei realmente conhecendo muito bem os lugares que visitei porque a cada 7 dias o navio retorna às mesmas cidades. Acabei mudando como pessoa porque essa convivência fez com que eu aprendesse a aceitar melhor  o próximo, que a minha verdade não era a única, que todas as pessoas riem, choram e que somos iguais. Viajar desse jeito e ainda ter uma carreira profissional em uma multinacional onde eu aprendia muito foi uma experiência insubstituível. Consegui ter ascensão profissional fazendo uma carreira a bordo, claro que com muito trabalho. Essa experiência me tornou profissionalmente muito segura. Além disso, devido a possibilidade de viajar por tantos lugares pelo mundo, acabei conhecendo esses lugares muito bem, fiz um diário, fotografei e fiz vídeos dos locais. Hoje possuo um site de dicas de viagem, estou escrevendo meu primeiro livro e sou consultora de viagens, toda essa bagagem me tornou a profissional que sou hoje.

Em breve publicaremos aqui tudo que aprendi nesses dez anos que passei em alto mar!

https://www.facebook.com/trabalharnoexterior Fique de olho na nossa página no Facebook e acompanhe minhas dicas!

Comments

comments

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

[an error occurred while processing this directive]
- sales7 - cheaps5